Postado por William Borges , quarta-feira, maio 19, 2010 10:58

Até que a gente desapareça haverá vestígios, restos e resquícios de tudo que sentimos enquanto fomos só e apenas enlouquecidamente apaixonados pelo mundo e, sobretudo, um pelo o outro. Nossos beijos no escuro, nossos silêncios repentinos e nossas conversas cheias de vontade de serem mais sinceras, menos contidas. Ficará ainda um tanto de saudade, um pouco de vontade de voltar no tempo, e uma certeza imensuravelmente plena, de que até o nosso desencontro tenha valido a pena.

3 Response to " "

renata Says:

Nossa! intensoo isso ...profundo


e uma certeza imensuravelmente plena, de que até o nosso desencontro tenha valido a pena.

Demais ...

O ser humano tem o estanho hábito de acumular... de deixar passar , em muitos momentos se perdem ... de sí mesmos , almas que poderiam seguir tornando menos doloroso o caminho ... ainda é muito estranho 'complexo'

Bom ... Parabéns , seu blog é muito bom , vou voltar aqui muitas vezes

tô te seguindo ...

http://natealves.blogspot.com/

Nath Ataíde Says:

Você ganhou um selo :D
vai no link : http://ultimaafolha.blogspot.com/2010/06/1.html

Carlos Emílio Says:

que bom que gostou!
tô te seguindo também.


o desencontro é uma das coisas que mais me deixa fascinado. :)
bom texto!
até!

Postar um comentário